Nos acompanhe através das redes socias

Boletim Informativo

Para manter-se atualizado, cadastre seu e-mail e receba os nossos informativos periódicos!

30 de Junho de 2020

Clipping – Rádio Cultura Foz - Mortes em casa por problemas cardíacos crescem 30% durante a pandemia

Fonte: Rádio Cultura Foz

As mortes por doenças cardíacas têm possivelmente três fatores principais: acesso limitado a hospitais onde houve sobrecarga do sistema de saúde, redução da procura por cuidados médicos devido ao distanciamento social ou por medo de contrair Covid-19, e também o isolamento que prejudica a detecção de sintomas.

Mais pessoas morreram em casa por doenças cardiovasculares durante a pandemia. É o que indica os números apresentados pela SBC (Sociedade Brasileira de Cardiologia) e pela Arpen (Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Brasil).

O aumento de mortes em domicílio por AVC, infarto e outras doenças cardiovasculares foi de mais de 30%, em relação ao mesmo período do ano passado. Em 2019, entre os meses de março e maio, foram 11.990 mortes por doenças cardíacas. Neste ano, foram 15.847 óbitos.

Na avaliação da SBC, as mortes por doenças cardíacas têm possivelmente três fatores principais: acesso limitado a hospitais onde houve sobrecarga do sistema de saúde, redução da procura por cuidados médicos devido ao distanciamento social ou por medo de contrair Covid-19, e também o isolamento que prejudica a detecção de sintomas.

O presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia, Marcelo Queiroga, aponta ainda que a Covid-19 também afeta o sistema cardíaco. A orientação do cardiologista é que pessoas com doenças cardíacas não deixem de fazer uso dos medicamentos já utilizados de maneira contínua. Ele também reforça a importância de não fumar e de melhorar a alimentação.

Devido a diferentes prazos legais para a realização do registro de morte e ainda para o envio das informações à Central de Informações do Registro Civil, a Arpen também alerta que os números por doenças cardíacas em casa podem ser ainda maiores.


Fonte: Rádio Cultura Foz

Confira Também