Nos acompanhe através das redes socias

Boletim Informativo

Para manter-se atualizado, cadastre seu e-mail e receba os nossos informativos periódicos!

26 de Outubro de 2018

Clipping – G1 (AC) - Em 2ª edição, projeto abre inscrições para casamento coletivo homoafetivo em Rio Branco (AC)

Fonte: G1 (AC)

O PROJETO CASAR É LEGAL DA DEFENSORIA PÚBLICA DO ACRE (DPE) ESTÁ COM AS INSCRIÇÕES ABERTAS PARA O CASAMENTO COLETIVO HOMOAFETIVO EM RIO BRANCO. AS VAGAS SÃO ILIMITADAS E A CERIMÔNIA ESTÁ MARCADA PARA OCORRER NO DIA 5 DEZEMBRO, ÀS 17H, NO PALÁCIO DO COMÉRCIO, EM RIO BRANCO.

As inscrições iniciaram no último dia 11 e se estendem até 11 de novembro. Os interessados podem procurar o Núcleo da Cidadania, na sede da Defensoria Pública, localizada na Avenida Antônio da Rocha Viana, próximo ao Horto Florestal.

A iniciativa da DPE conta com a parceria do Tribunal de Justiça do Acre (TJ-AC), Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) e Cartórios de Registro Civil das Pessoas Naturais da Comarca de Rio Branco.

O defensor público Celso Araújo explicou ao G1, nesta quarta (24), que essa é a segunda edição do projeto Casar é Legal. Na primeira edição, Araújo falou que 13 casais oficializaram a união e a expectativa é superar esse número.

O objetivo do projeto é enaltecer o princípio da isonomia, porque a Constituição Federal trata que todos são iguais perante a lei. Procuramos dar uma visibilidade para essas pessoas visando combater qualquer tipo de intolerância ou preconceito”, ressaltou.

Ainda segundo o defensor, os casais precisam apresentar cópia do RG, CPF, comprovante de endereço, registro de nascimento atualizado e nome de duas testemunhas no ato da inscrição. Arraújo falou que até o momento não há nenhuma inscrição, mas houve uma procura de cinco a seis casais.

"Precisa ter sido expedido nos últimos 60 dias. Às vezes, a pessoa muda o nome e não consta no registro, precisamos do registro para saber ser houve alguma averbação, se houve mudança no nome da mãe ou pai. O bom desse casamento é que não tem pagamento de custos e nem de emolumentos”, afirmou.

 

 


Fonte: G1

Confira Também